04 outubro 2009

Até lá os dias serão os mesmos!


Não preciso provar nada

Ou mesmo algo dizer, sei o que desejo.

O que penso, sinto e quero.

Para alguns é loucura e ou insanidade

Digno de ser chamado de louco

Quando eu digo que não tenho medo, que eu não preciso mentir.

É porque já estou assumindo o meu medo e mentindo

Não sei se escolhi ou fui escolhido

Se haverá um realizar ou não

Um dia a menos é um dia a mais eu sei

Eu sei...

Até lá eles me continuam sendo os mesmos

Cinzas...

Horas que avançam, mas de forma horrenda.

Elas se repetem...

Tenho medo...

Quem não o tem?

De como em uma peça improvisada o final não seja

Aquele escrito, mas, o improvisado.

O que faço pode parecer irritante

Assumo a culpa

Mas tenho medo

Como uma criança que chora por medo do escuro

Mas até lá os dias são os mesmos....

Ileniel Nunes

2 comentários:

Anônimo disse...

De fato não precisamos provar nada à ninguém...
Mas acho q mesmo o improvisado, pode sim, ter um fim, mesmo não sendo o esperado...
Agora...acredito piamente, q nossos dias não precisam ser os mesmos sempre, podemos muda-los.

Em tempo, gosto mto do q escreve Ileniel.
Paz e bem pra vc.

Maria de Fátima.

Luana disse...

Dias iguais nem sempre é sinônimo de coisa ruim. Coisas novas podem ser tragédias também. Eu preferia minha vidinha de antes, com dias iguais, onde tudo corria normalmente e bem. Agora é o momento que eu sinto mais medo por me fugir do controle toda a situação, essas tais mudanças no meu dia-a-dia é o que me mete mais medo e já não sei o que sinto e o que penso.

Gosto do que escreve, e quando tiver tempo vou voltar para dar uma espiada... grande abraço, grande amigo!