27 julho 2009

Baader-Meinhof Blues

Drama recupera trajetória do grupo Baader Meinhof
SÃO PAULO (Reuters) - Indicado ao Oscar de filme estrangeiro 2009, "O Grupo Baader Meinhof" traz às telas uma versão quase documental sobre a organização terrorista RAF (Facção Armada Vermelha), que travou uma violenta guerra contra o establishment alemão e o "imperialismo americano" durante a década de 1970. O filme estreia em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Longe de qualquer defesa ou ataque moral ao grupo de jovens idealistas, o drama relata como foram orquestradas as principais ações da RAF e as consequências da queda de braço com o Estado alemão. Mostra, assim, como a lógica extremista do "olho por olho" fez da luta por uma sociedade mais justa uma guerrilha urbana sangrenta com desdobramentos políticos internacionais. A veracidade do que se vê na tela tem uma explicação. O roteiro, assinado pelo produtor Bernd Eichinger ("A Queda! - As Últimas Horas de Hitler"), segue de forma fiel o livro "Der Baader-Meinhof Komplex", do jornalista Stefan Aust. Assim, traça uma linha temporal dos eventos que culminaram no que ficou conhecido como "Outono Alemão" (1977), com o dramático sequestro do avião Landshut, da Lufthansa, e a morte dos principais líderes da RAF. Tal como no livro, a história tem início em 1967, quando um estudante é baleado pela polícia durante um protesto. Nas revoltas estudantis que se deflagram a partir daí, une-se à causa a jornalista Ulrike Meinhof (Martina Gedeck, de "A Vida dos Outros") e o casal extremista Andreas Baader (Moritz Bleibtreu, de "Corra Lola, Corra") e Gudrun Ensslin (Hohanna Wokalek), que fundam o RAF. Com a ajuda de outros companheiros, eles planejam e executam elaborados planos de assalto a bancos, sequestros e ataques à bomba a prédios públicos. Enquanto isso, o comandante de polícia Horst Herold (Bruno Ganz, de "O Leitor") busca antecipar os passos do grupo, reelaborando as táticas policiais de combate ao terrorismo. Como o livro é baseado em documentos originais, grande parte dos diálogos travados no filme tem base real, trazendo ao espectador um retrato mais verossímil a tudo o que se vê. Coube ao diretor Uli Edel tornar atraente a complexa narrativa, que envolve mais de 200 personagens. O resultado é uma competente crônica da ascensão e declínio de um ideal e uma eficiente produção, que mescla informação e bom cinema, digna de sua indicação ao Oscar (prêmio concedido ao japonês "A Partida", de Yojiro Takita, ainda em cartaz nos cinemas). Com o filme, Uli Edel fecha também sua trilogia sobre diversas formas da violência: a política, "O Grupo Baader Meinhof"; a social, "Noites Violentas no Brooklyn"; e a autodestrutiva, "Eu, Christiane F., 13 anos, Drogada e Prostituída". (Por Rodrigo Zavala, do Cineweb)
(link trailer)

Facção Exército Vermelho

As raízes da Facção Exército Vermelho podem ser encontradas no movimento estudantil alemão dos anos 1960.
Inicialmente centrados na crítica à instituição universitária, os estudantes alemães da época viraram as suas atenções para eventos internacionais, como a Guerra do Vietname, a pobreza no Terceiro Mundo e a questão da energia nuclear. Os estudantes criticavam igualmente aquilo que lhes parecia ser a relutância da sociedade alemã em confrontar-se com o seu passado nazi. Para alguns, o Estado que vigorava na República Federal da Alemanha era uma continuação do Estado nazista. A 2 de Junho de 1967 o do Irã realizou uma visita oficial à cidade de Berlim. O movimento estudantil aproveitou a ocasião para efectuar uma manifestação de protesto contra as violações de direitos humanos que aconteciam no Irã, denunciando a aparente indiferença que o xá e a sua esposa demonstravam perante as classes mais desfavorecidas de seu país. Na noite de 2 de Junho os manifestantes concentraram-se junto à Ópera de Berlim, onde o xá deveria comparecer a um espectáculo. A manifestação revelou-se um fracasso, já que o xá não se apercebeu da presença das multidões. Diante da presença de manifestantes contra e a favor do xá, a manifestação rapidamente desembocou no caos, e um jovem estudante, Benno Ohnesorg, seria morto, depois de ser baleado por um policial. Entre os manifestantes encontrava-se Gudrun Ensslin, uma estudante de doutoramento da Universidade Livre de Berlim que, indignada com a morte de Ohnesorg, declarou que a única forma de responder à violência seria com violência. No Verão do mesmo ano, Gudrun Ensslin conhece Andreas Baader, que se tornaria o seu namorado. Juntos estariam na origem da Facção Exército Vermelho. Em Março de 1968 Gudrun Ensslin e Andreas Baader decidem passar à luta armada. Ajudados por Horst Söhnlein e Thorwald Proll, viajam até Frankfurt, onde decidem colocar bombas em dois estabelecimentos comerciais. Ninguém saiu ferido nos incêndios que se seguiram, mas os prejuízos materiais foram estimados nos dois milhões de marcos. Num telefonema à Agência de Notícias da Alemanha, Gudrun afirmou tratar-se de um acto de vingança política. Detidos a 4 de Abril de 1968, os quatro foram julgados e condenados cada um a três anos de prisão em Outubro do mesmo ano. Em Junho de 1969 os quatro incendiários foram libertados da prisão devido à apresentação de um recurso judicial. Quando o Tribunal Federal ordenou o regresso dos condenados à prisão, estes decidiram escapar. Söhnlein decide acatar a ordem, mas os outros três fogem para Paris, com a ajuda da irmã de Thorwald Proll, Astrid, refugiando-se no apartamento de Régis Debray. De regresso à Alemanha Ocidental, Baader e Ensslin procuraram recrutar militantes para as suas ideias; entre eles estavam Horst Mahler, um advogado que tinha defendido Baader durante o julgamento relativo aos crimes de Frankfurt e Ulrike Meinhof, jornalista de esquerda. Ao mesmo tempo procuraram adquirir armas que serviriam para assaltar bancos. Numa tentativa de conseguir armas num cemitério perto do Muro de Berlim, seguindo uma informação falsa dada por um trabalhador de uma fábrica (na realidade um agente da polícia), Baader é detido.
Gudrun Ensslin procurou então convencer Ulrike Meinhof a participar num plano cujo objectivo era libertar Andreas Baader da prisão. No dia 14 de Maio de 1970 Ulrike Meinhof encontrou-se com Baader no Instituto para as Questões Sociais, com a alegada justificativa de estar a escrever um livro sobre a juventude alemã. Enquanto a jornalista conversava com Baader na biblioteca da instituição, vigiada por um guarda, duas cúmplices ajudaram Gudrun Ensslin (armada e com uma máscara) e um simpatizante a entrar no edifício. Estes rapidamente libertaram Baader, tendo, no processo, disparado sobre o guarda e um funcionário da instituição. No dia seguinte surgiram pelo país cartazes com a fotografia de Baader e Meinhof nos quais se solicitavam informações sobre o paradeiro de ambos. A imprensa conservadora referiu-se ao grupo de fugitivos como o "Grupo Baader-Meinhof" e esta passaria a ser a designação popular pela qual o grupo seria conhecido. Em finais de Maio os fugitivos publicaram no jornal anarquista 833 um comunicado que anunciava a criação da Rote Armee Fraktion. Julga-se que o comunicado tenha sido escrito por Ulrike Meinhof. O período 1970-1972... Antes de proceder às suas acções armadas, os membros da Facção Exército Vermelho realizaram um treinamento na Jordânia, sob orientação da Frente Popular para a Libertação da Palestina. De regresso à Alemanha, em Agosto de 1970, os militantes planearam assaltos a quatro bancos para arrecadar dinheiro e armas, actos executados em Setembro do mesmo ano. Também foram realizados ataques contra edificios militares dos Estados Unidos, postos policiais e edifícios do império jornalístico de Axel Springer, além da tentativa de assassinato de um juiz. Novos recrutas uniram-se à organização: Jan-Carl Raspe, Marianne Herzog e Ali Jansen. Em manifesto escrito por Meinhof, aparece pela primeira vez o nome RAF, com a estrela vermelha e a metralhadora Heckler&Koch MP5. Depois de uma intensa investigação, Andreas Baader, Gudrun Ensslin, Ulrike Meinhof, Holger Meins e Jan-Carl Raspe são novamente detidos, em junho de 1972, permanecendo encarcerados na prisão de segurança máxima de Stuttgart - Stammheim - construída expressamente para abrigá-los em celas isoladas, sem contato entre eles, enquanto as visitas familiares só eram permitidas a cada duas semanas. Ainda assim, Ensslin concebeu um "circuito de informação", definindo um apelido para cada um dos membros do grupo. Assim, mediante cartas que faziam circular através de seus advogados, conseguiram permanecer em contato.
Após 1972... Para protestar contra as condições em que se encontravam, iniciaram várias greves de fome coordenadas; finalmente receberam alimentação forçada. Meins, no entanto, morreu em 9 de novembro de 1974, pesando apenas 60 kg. Depois de vários protestos públicos, as condições do grupo foram melhoradas pelas autoridades. Em 21 de maio de 1975, começou o julgamento de Baader, Ensslin, Meinhof e Raspe, conhecido como o "Julgamento de Stammheim". Em 9 de maio de 1976, quando se festejava o dia das mães na Alemanha, Ulrike Meinhof foi encontrada morta em sua cela, enforcada com uma toalha. A investigação concluiu que se tratara de suicídio, conclusão bastante contestada. Finalmente, em 28 de abril de 1977, os três acusados sobreviventes foram declarados culpados de vários assassinatos, tentativas de assassinato e de formação de organização terrorista. Foram sentenciados a prisão perpétua. Em 13 de outubro o vôo LH181 da Lufthansa, que ia de Palma de Maiorca para Frankfurt, foi sequestrado por um grupo árabe. O vôo foi desviado, seguindo para Dubai, (Emiratos Árabes Unidos) via Larnaca, (Chipre), e de lá para Oman, onde o comandante Jürgen Schumann foi morto, em 16 de outubro. De lá, o avião decolou novamente, conduzido pelo co-piloto Jürgen Vietor, com destino a Mogadíscio, Somália. Os nomes de Baader, Ensslin e Raspe constavam da lista de 13 presos cuja libertação era exigida pelos seqüestradores que, todavia, acabaram mortos por um comando de soldados alemães, especializado na luta antiterrorista, que invadiu o aparelho no aeroporto de Mogadíscio e libertou todos os passageiros. Em 18 de outubro de 1977, Baader e Rasper foram encontrados mortos, com ferimentos a bala. O Ministério da Justiça de Baden-Württemberg, onde fica o presídio, informou que ambos se haviam suicidado com tiros de pistola e que Ensslin se enforcara na cela. Acrescentou que a outra presa, Irmgard Moeller, de 30 anos, também tentara o suicídio, cortando as veias do pulso e do pescoço, sendo hospitalizada em estado grave. O porta-voz do Ministério não informou contudo, como o grupo havia conseguido as pistolas, de uso exclusivo das Forças Armadas da Alemanha. Irmgard Möller, embora ferida, sobreviveu. Foi liberada da prisão em 1994. Reação estatal... Em resposta aos ataques, as autoridades da República Federal Alemã aprovaram uma série de medidas legislativas que, na sua visão, ajudariam a combater a actividade da Facção Exército Vermelho. A 28 de Maio de 1972 o chanceler Willy Brandt e a Conferência de Presidentes dos Estados assinaram um decreto através do qual os funcionários públicos deveriam jurar fidelidade à Constituição da República Federal Alemã. A 1 de Janeiro de 1975 entraram em vigor as chamadas "leis Baader-Meinhof", que autorizavam os tribunais a excluirem advogados que defendessem um cliente sobre o qual pesassem suspeitas de associação criminosa. A 30 de Setembro de 1977 o parlamento aprovou a "Lei de Interruptação dos Contactos" que permitia que um juiz decretasse a interdição de contactos entre revolucionários condenados


A preguiça em escrever este texto e a vontade de não subverter a informação justificam o control+c e o control+v
_________________________________________
Baader-Meinhof Blues
Legião Urbana
A violência é tão fascinante
E nossas vidas são tão normais
E você passa de noite e sempre vê
Apartamentos acesos
Tudo parece ser tão real
Mas você viu esse filme também.
Andando nas ruas
Pensei que podia ouvir
Alguém me chamando
Dizendo meu nome.
Já estou cheio de me sentir vazio
Meu corpo é quente e estou sentindo frio
Todo mundo sabe e ninguém quer mais saber
Afinal, amar o próximo é tão demodé.
Essa justiça desafinadaÉ tão humana e tão errada
Nós assistimos televisão também
Qual é a diferença?
Não estatize meus sentimentos
Pra seu governo,
O meu estado é independente.
Já estou cheio de me sentir vazio
Meu corpo é quente e estou sentindo frio
Todo mundo sabe e ninguém quer mais saber
Afinal, amar o próximo é tão demodé.

video

video

20 julho 2009

Uma ode a alegria

Há muitos anos atrás eu trabalhava em uma locadora de vídeo, e gastava horas a fio vendo filmes, e eram em VHS, e adorava quando conhecia as musicas como elas realmente o são e não como ouvidos malditos querem que elas sejam... Com isso consegui aprender sobre algumas coisas boas, e alguns amigos foram me ensinando ao longo da vida... Tanto que me lembro de quando saiu o Cd póstumo da Legião Urbana "Outra estação", no cd há uma música chamada Schubert Lândler, eu me lembro de ter pegado ao acaso um filme chamado Shubert e a casa das três meninas (A Song Of Love And Despair) de 1958 (filme muito bom, diga-se de passagem), e lá ao acaso eu encontrei uma faixa que estava neste álbum da Legião... Mas não é disso que desejo falar... Por que cargas d'água eu escrevi sobre? Foda-se... Vamos em frente! Existem filmes e mais filmes, mais filmes e mais e mais que falam sobre amizade, confiança reciprocidade respeito e blá blá blá toda aquela merda que a maioria acha idiotice, e eu os acho idiotas.... Mesmo neste estranho dia, sim estranho, por que tenho de desejar felicidades para meus amigos e outras pessoas que amo e fazem parte da minha vida em um dia especifico? Esqueci, sou um chato de Platão radical, não entendo destas coisas absurdas que os "normais" festejam... Mas vamos lá... Gosto dos meus AMIGOS, aturo os meus COLEGAS, o que eles pensam de minha pessoa não sei (um dia pedirei ao meu amigo Gabiru para fazer a enquete boca de urna)... Possuo a máxima comigo, não sou eu quem escolhe os meus amigos, mas eles quem me escolhem... Afinal eles que maturam o meu mal humor. Mas devo admitir que nem sempre valorizei meus amigos, houve tempos em que saia no soco com eles por nada... Já preguei no murro com um por causa de cachorro quente, com outro por causa da coleção de revistinhas Carlos Zéfiro... Mas o tempo avança o amadurecimento obrigatoriamente te espanca se você tentar correr... É quando você descobre como viver e como ser com os que sempre te aturam e gostam de você (sim por incrível que possa parecer eu tenho quem me adora como o sou, (viu suas desgracentas... meus amigos não tentam mudar minha pessoa para querer conviver comigo! Humpf!).... Já errei muito com vários deles, hoje tento ser o melhor possível com todos...

Abraços e Felicidades Sempre
Ileniel Nunes
video

14 julho 2009

Qual a fórmula para ser mais inteligente?

Qual a fórmula para ser mais inteligente?


Com a competividade no mercado de trabalho e as necessidades em adaptar a uma sociedade moderna que corre contra o tempo, em meio ás sensações de estresse e a ansiedade, muitos brasileiros tentam encontrar a fórmula certa para atingir a inteligência. A inteligência, fator primordial para a ascensão e o sucesso, vem fazendo com que muitas pessoas optem em utilizar-se de medicamentos, na busca da concentração e do rendimento ideal em setores de importância.
A ritalina é um remédio indicado para portadores de síndrome de déficit de atenção. Seu uso, porém é muito comum até mesmo para aqueles que aparentemente não possuem qualquer tipo de distúrbio cerebral. No site de relacionamento orkut existem mais de 12 comunidades indicadas como “Amigos da Ritalina”, e o uso de tal medicamento é utilizado por aqueles que apenas querem ter um melhor rendimento cerebral.
A onda para tal conduta é conhecida pelos neurologistas como “neurocosmética.” Os remédios para estimular o cérebro já se tornou hábito tão comum assim como utilizar-se de cosméticos de beleza. A procura por remédios estimulantes para o cérebro é voltada para um único objetivo, torna-se mais inteligente, mais ativo e disposto para as atividades do cotidiano.
No centro médico de Princeton nos Estados Unidos, as 240 fatias do cérebro de Albert Einstein flutuam em dois potes. A busca pela descoberta da fórmula da inteligência fez com que pesquisadores estudassem o cérebro mais cobiçado e talvez considerado o mais gênio de todas as épocas. As conclusões que se chegaram é que no cérebro de Einsten, o lobo pariental era 15% maior do que um cérebro normal e seus neurônios eram mais alimentados.
Segundo pesquisadores, o revestimento dos neurônios possibilita maior nível de inteligência. Se as camadas de mielina (uma espécie de gordura) que cobrem os neurônios forem mais grossas em seu revestimento, a informação para as células nervosas será transmitida com mais rapidez.
A genética também é responsável por nossa inteligência, á inteligência é oriunda do código genético que cada pessoa possui e pelo desenvolvimento externo do meio. O maior dom da inteligência é desenvolver a criatividade. Todos nós nascemos com todas as inteligências. Com o amadurecimento da vida e o desenvolvimento humano vamos criando nosso perfil único de inteligência.
A inteligência musical, por exemplo, é diferenciada de uma pessoa para outra. Não adianta nada, porém ter talento para a arte musical se não desenvolvê-lo. Um pianista profissional, por exemplo, tem a zona do córtex motor bem desenvolvido em relação aos dedos mais importantes. A inteligência deve ser aperfeiçoada.
A convivência no dia a dia em grupos favorece as habilidades mentais na medida em que para se conviver em meio social é necessário pensar e sentir como os demais. Os relacionamentos sociais contribuem para o aprimoramento mental, uma vez que há a troca de experiência e do conhecimento.
Apenas os fatos mais marcantes ficam registrados na memória de longo prazo, no geral, o cérebro perde grande parte das informações que captou. Técnicas de aprendizado são utilizadas, como treinar o cérebro em repetir as informações reiteradas vezes.
É necessário respeitar seus limites. Nosso cérebro não foi programado para copilar várias informações ao mesmo tempo. O ideal é fazer uma tarefa de cada vez, o excesso de atividades provoca o estresse. Em momentos de estresse, um hormônio por nome de cortisol é liberado. Tal fator é extremamente tóxico aos neurônios, chegando a matá-los e atingindo o hipocampo que é a área responsável pelo aprendizado e pela memória.
Dormir bem também é responsável pela boa qualidade de vida. Não há uma fórmula mágica para a inteligência, ser inteligente é ser capaz de compreender seus talentos e saber desenvolvê-los com habilidade.

Wellen Candido Lopes

(Silence)

Há instantes na vida

Em que olhar para traz e querer riscar da mente parece ser a melhor solução

Ou a melhor das idéias

Quando na verdade a melhor coisa a ser feito é realmente guardar tudo

Não deixar escapar um só detalhe

Uma só linha e ou vírgula, anotar tudo, memorizar, alinhar, organizar...

Enfim poder guardar...

Eu quero tudo guardado no mar do esquecimento...

Não a tenho

E não terei

Fato

Carregá-la-ei comigo sim...

Mas no mar do esquecimento, para todo o sempre...

Sempre as mesmas promessas

As mesmas ladainhas

E reclamações

No final o que prevalece é o sentimento...

O que eu vou então fazer com as lembranças?

E o mar?...

Ele reclama as minhas promessas de alimentar-lo

Vou pensar...

O delírio é tão acalentador quanto um cálice de vinho

A música é tão sublime, que, me dou conforto

Torna a ausência menos dolorida ou sofrida

Ainda bem

Preciso descansar

A insônia me acompanha como uma esposa acompanha um marido doente

Ileniel Nunes

O Manual de Escândalos do Palácio dos Horrores


O Congresso Nacional é composto pela união da Câmara de Deputados Federais e pelo Senado. Somente neste ano, a imagem da Casa Legislativa passou por inúmeros desgastes, sendo até batizada pela mídia como o Palácio dos Horrores. Uma série de escândalos e de inúmeros funcionários fantasmas. Se nossos deputados e senadores fossem protagonistas da novela “Caminho das Índias” certamente seriam os “Intocáveis”, ou quem sabe os “Dalites de Brasília”.
A despesa mensal de um deputado federal no Brasil consiste em um salário de R$ 16.512,09, com direito á auxílio moradia no valor de R$ 3.000,00 e 13º salário. Gasto com a manutenção do gabinete no valor de R$ 15.000,00, contratação de funcionários no valor de R$ 60.000,00, telefones e selos R$ 5.000,00 e passagens áreas até o teto de R$ 15.000,00. Sendo assim, um deputado federal gasta por mês um valor acima de R$ 100 mil reais. Agora diante desta realidade imagine quanto se gasta o corpo completo de deputados que compõem a Câmara de Deputados. Consegue o leitor imaginar os milhões mensais gastos com o dinheiro público? Só temos 513 deputados e 81 senadores, imaginem!!!
Dizem ás más línguas de que o atual presidente da Câmara de deputados, Michael Temer, fez juz ao seu sobrenome após uma participação que teve no Fórum Empresarial na Ilha de Comandatuba, litoral da Bahia no dia 19 de Abril. Michel Temer “temeu” diante das ironias da empresária Luíza Helena Trajano da rede Magazine Luíza quando esta lhe perguntou “ O que o Congresso pretende fazer para evitar gastos desonestos com o dinheiro do povo brasileiro?” Diante desta saia justa e com uma resposta nada convincente e um tanto evasiva, Michel Temer reuniu-se com vários líderes no sentido de buscar uma solução mais moralizadora para o Congresso Nacional. Criou-se a idéia da proibição de passagens áreas para parentes dos deputados.
Houve uma reviravolta e a poeira não baixou ainda. O deputado Silvio Costa (PMN-PE) proferiu declarações apaixonadas pela família. Eu não pude me conter ás lagrimas. É uma afirmação um tanto bizarra. Que ironia!!! O Senador Papaléo Paes (PSDB-AP) diz não ter mais condições de ver sua família caso o projeto das cotas aéreas sejam aprovadas. Sabe leitor, eu também tive pena dele, afinal de contas seu salário é miserável né? Outra afirmação infeliz foi a do deputado Ciro Gomes (PSB-CE), ao reclamar inconformado de que todos os deputados de outros países têm passagens pagas. Acho que o nobre deputado assistiu muito o personagem de sua esposa Patrícia Pillar, quando esta interpretou a flora, uma vilã com cara de mocinha inocente. E a culpa disto? A culpa é do Ministério Público, bando de promotores que enche o saco né? Ciro Gomes anda cuspindo fogo porque seu circulo está fechando.
Até agora estamos falando dos Dalites de Brasília, em nossa novela até os mocinhos pecam, afinal de contas, o pecado existe desde o Jardim do Éden. Se Adão e Eva eram puros e erraram porque Fernando Gabeira (PV-RJ) também não pode errar? Gabeira foi um dos responsáveis pela decadência de Severino Cavalcanti e era visto como um dos poucos nomes ainda moralizados dentro do Congresso. A passagem usada por uma das filhas de Gabeira á uma viagem pelo Havaí só foi R$ 6.600,00 e ele promete devolver. Acho que ele não deve se preocupar. O deputado Fábio Faria (PMN-RN) também presenteou Adriane Galisteu com suas cotas. Quem diria, mas até o delegado Protógenes Queiroz, inimigo declarado do banqueiro Daniel Dantas, também sobrevoou com as cotas da deputada Luciana Genro (PSOL-RS).
Um pequeno manual de escândalos foi à realidade do Congresso Nacional Brasileiro. Quem não se lembra do Castelo de Minas Gerais do deputado Edemar Moreira (DEM_MG). E pra ironia do destino, ele foi eleito corregedor da Câmara de deputados. Para os desatentos, corregedor é aquele que corrige os maus feitos dos outros. No Gabinete do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) evidências de inúmeros funcionários fantasmas. A mansão em Brasília do ex diretor do Senado Agaciel Maia também veio a tona. Um pequeno casebre avaliado em R$ 5 milhões não declarados ao fisco.
Em Janeiro, pleno período de férias e de recesso, o Congresso pagou R$ 6,2 milhões em horas extras para seus funcionários, a Câmara pagou R$ 635 mil para os seus. Luciana Cardoso, filha do ex presidente Fernando Henrique Cardoso, recebe salário do Senador Heráclito Fortes (DEM-PI) mas nunca pôs os pés nos corredores do Senado, ela disse que trabalha para o senador em casa. Nem o próprio senador presidente do Senado José Sarney (PMDB-AP) escapou dos escândalos, ele se utilizou dos serviços de seguranças do Senado para tomar conta de sua segurança particular e de sua casa no Estado do Maranhão. O celular foi por conta do Senado, quando o senador Tião Viana (PT-AC) emprestou seu celular para uma viagem de sua filha ao México. Até a ex babá do diretor de Recursos Humanos do Senado João Carlos Zoghbi, também participou das “farras do Congresso”, uma senhora de 83 anos que se tornou sua sócia para poder receber dinheiro da Cruzeiro do Sul em negociações com o Senado.
Como diz um ditado popular, “ a bruxa está solta” no Congresso Nacional Brasileiro. Enquanto isto, grande parte da população brasileira sobrevive com apenas um salário mínimo. Em meio á convivência com uma crise internacional onde muitos nada se tem, o Congresso Nacional se lambuza com dinheiro público.


Wellen Candido Lopes, advogada, professora, doutoranda em direito pela Universidade Museo Social Argentino, província de Buenos Aires.

Houveram dias em que o nada era certo e o certo o incerto...


Acreditar nas pessoas, em suas promessas (mesmo as mais descabidas) sempre foi algo da minha personalidade, se fraca ou não pouco importa... Pensamento torpe e escroto que não me pertencem. O que me importa é que sempre estive disposot a acreditar na pessoa no ser humano (faço aquilo que gostaria que o fizessem comigo), mas as vezes a decepção
é tão certeira que desnorteado o fico de forma a não saber como reagir. Eu juro que ainda estou a procurar uma reação em mim mesmo....
A filosofia estoicista rege um conceito bem simples a grosso modo: esquece passe por cima seja egoista pense em você mesmo, depois continue a pensar em você mesmo, quando se saturar fique quieto no seu canto (tentei fazer isso, mas sou teimoso demais)... A misantropia diz quase que a mesma coisa só que ela permite que você viva em meio as pessoas, apenas as ignora (tambem foi desperdicio detempo tentar)... A ordem do dia manda desistir, largar mão, não ficar mais com estas balelas de acreditar nas pessoas desisitir ser egoista de forma plena... mas como ser egoista com pessoas acreditando em mim? Como ser egoista com pessoas me ajudando, quando o normal seria estar perdido sem pai nem mãe (plagiando Angenor).
Escolha um carro, escolha uma casa, escolha um player, escolha um Cd, escolha um livro, escolha uma web, escolha um msn, escolha um amigo, escolha uma mulher, escolha um amor, escolha um filme, escolha um emprego, escolha tudo e mais... ainda sim algo não será condizente. Ação, reação, ato, fato, individuos, situações, blá, blá, blá, e assim vai a merda toda acontecendo.
Dizer que me sinto hoje uma pessoa incólume, um semi deus (gostei da parte do semi deus) intocavél, é estar no cume da burrice e do egocentrismo... Gato escaldado somente em agua fria o seu banho toma... Porra nenhuma, eu nunca me dou por vencido... Não foi desta vez que consegui meus objetivos, não foi desta vez que a minha escolha foi acertada (se foi quero saber onde errei para perder), não acertei em nada desta vez? Sem problemas, me sinto um cavalo em dia de desfile da independência e com diarreia para alegrar o movimento todo....
São absurdos como estes que tornam as coisas em minha vida mais bellas, e bellos são os dias de vitórias...
Ileniel Nunes

06 julho 2009

Edith Piaf... um pardal, com um canto belissimo...



video


Ouvi falar de Piaf pela primeira vez la pelos dezenove, vinte anos de idade (não desejo saber de uma pessoa que tem o sobrenome artistico de pardal... isso já me remete aos malditos sertanejos), e novamente tomei contato com ela no inicio de 2007... mencionei para um pseudo amigo a vontade de ver o filme (estava em cartaz em um cinema MarcaVote da Capital)... o maldito me falou tanta coisa ruim do filme que acabei por desistir (isso que dá ficar ouvindo pessoas que adoram ver novelas, gostam de sertanejo, pagode e axé)... algum muito tempo depois um amigo para me irritar manda o link de uma musica Milord na agoniante vontade de me ver falar um monte como é de costume da minha pessoa, porém não mais dei atenção aos outros links que ele me mandava via msn... uns quarenta minutos depois ele questiona se estou vivo... respondo que sim e pergunto a ele por que não me mostrou antes Edith Piaf... eis que ele me diz: "como mostrar Edith para quem gosta de Velvet Underground?" ... Deixei quieto. Há pouco tempo eu resolvi que desejava assitir ao filme, o vi na casa de um amigo, mas a preguiça era tamanha que deixei quieto... Poucos dias depois andando nas americanas encontro o DVD Duplo originálissimo por uma pechincha de beira de esquina... domingo as oito da manhã eu parecia uma criança arretada para usar o seu novo brinquedo, com o olho todo remelento ainda fui assisitr o filme... não pretendo comentar sobre a porra do filme, a vida da cantora... Tá certo o filme é um espetáculo, mas se quizer saber sobre vai assitir... é quase perfeito.


Mas o que me chamou a atenção foi...


Não! Nada de nada...

Não! Eu não lamento nada...

Nem o bem que me fizeram

Nem o mal - isso tudo me é igual!

Não, nada de nada...

Não! Eu não lamento nada...

Está pago, varrido, esquecido

Não me importa o passado!

Com minhas lembrançasAcendi o fogo

Minhas mágoas, meus prazeres

Não preciso mais deles!

Varridos os amores

E todos os seus temores

Varridos para sempreRecomeço do zero.

Não! Nada de nada...Não! Não lamento nada...!

Nem o bem que me fizeram

Nem o mal, isso tudo me é bem igual!

Não! Nada de nada...Não!

Não lamento nada...Pois, minha vida, pois, minhas alegrias

Hoje, começam com você!

A força destas palavras... elas são de um composição tão simples como dois e dois igual a vinte e dois... mas de uma força imensuravél em sua compreensão... Não apenas isso, que fique bem registrado, mas o instante da vida em que se encontra cada individuo faz com isso possua uma interpretação impar... Qual foi a minha? nem queiram saber.... existem momentos na vida em que se preocupar com certas e infames opiniões, ou comparações imbecis saturam de um tanto que você por opção acaba deixando as pessoas falando sózinhas mesmo, pois cada um sabe onde o calo doi no que se refere a própria vida... Pois como disse Ari Toledo certa feita: "rico quando sabe cultura é inteligente, o pobre é viado".... Cada um pense o que quiser ou fale o que desejar.


Para vocês um pouco da vida dela Biografia


Ileniel Nunes

05 julho 2009

A mais Bela Flor do poema.....

Ser Poeta  Ser poeta é ser mais alto, é ser maior Do que os homens! Morder como quem beija! É ser mendigo e dar como quem seja Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!  É ter de mil desejos o esplendor E não saber sequer que se deseja! É ter cá dentro um astro que flameja, É ter garras e asas de condor!  É ter fome, é ter sede de Infinito! Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim... É condensar o mundo num só grito!  E é amar-te, assim, perdidamente... É seres alma, e sangue, e vida em mim E dizê-lo cantando a toda a gente!                                     Florbela Espanca
Mesmo antes de seu nascimento, a vida de Florbela Espanca já estava marcada pelo inesperado, pelo dramático, pelo incomum.

Seu pai, João Maria Espanca era casado com Maria Toscano. Como a mesma não pôde dar filhos ao marido, João Maria se valeu de uma antiga regra medieval, que diz que quando de um casamento não houver filhos, o marido tem o direito de ter os mesmos com outra mulher de sua escolha. Assim, no dia 8 de dezembro de 1894 nasce Flor Bela Lobo, filha de Antónia da Conceição Lobo. João Maria ainda teve mais um filho com Antónia, Apeles. Mais tarde, Antónia abandona João Maria e os filhos passam a conviver com o pai e sua esposa, que os adotam.

Florbela entra para o curso primário em 1899, passando a assinar Flor d’Alma da Conceição Espanca. O pai de Florbela foi em 1900 um dos introdutores do cinematógrafo em Portugal. A mesma paixão pela fotografia o levará a abrir um estúdio em Évora, despertando na filha a mesma paixão e tomando-a como modelo favorita, razão pela qual a iconografia de Florbela, principalmente feita pelo pai, é bastante extensa.

Em 1903, aos sete anos, faz seu primeiro poema, A Vida e a Morte. Desde o início é muito clara sua precocidade e preferência a temas mais escusos e melancólicos.

Em 1908 Antônia Conceição, mãe de Florbela, falece. Florbela então ingressa no Liceu de Évora, onde permanece até 1912, fazendo com que a família se desloque para essa cidade. Foi uma das primeiras mulheres a ingressar no curso secundário, fato que não era visto com bons olhos pela sociedade e pelos professores do Liceu. No ano seguinte casa-se no dia de seus 19 anos com Alberto Moutinho, colega de estudos.

O casal mora em Redondo até 1915, quando regressa à Évora devido a dificuldades financeiras. Eles passam a morar na casa de João Maria Espanca. Sob o olhar complacente de Florbela ele convive abertamente com uma empregada, divorciando-se da esposa em 1921 para casar-se com Henriqueta de Almeida, a então empregada.

Voltando a Redondo em 1916, Florbela reúne uma seleção de sua produção poética de 1915 e inaugura o projeto Trocando Olhares, coletânea de 88 poemas e três contos. O caderno que deu origem ao projeto encontra-se na Biblioteca Nacional de Lisboa, contendo uma profusão de poemas, rabiscos e anotações que seriam mais tarde ponto de partida para duas antologias, onde os poemas já devidamente esclarecidos e emendados comporão o Livro de Mágoas e o Livro de Soror Saudade.

Regressando a Évora em 1917 a poetisa completa o 11º ano do Curso Complementar de Letras, e logo após ingressa na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Após um aborto involuntário, se muda para Quelfes, onde apresenta os primeiros sinais sérios de neurose. Seu casamento se desfaz pouco depois.

Em junho de 1919 sai o Livro de Mágoas, que apesar da poetisa não ser tão famosa faz bastante sucesso, esgotando-se rapidamente. No mesmo ano passa a viver com Antônio Guimarães, casando-se com ele em 1921. Logo depois Florbela passa a trabalhar em um novo projeto que a princípio se chamaria Livro do Nosso Amor ou Claustro de Quimeras. Por fim, torna-se oLivro de Soror Saudade, publicado em janeiro de 1923.

Após mais um aborto separa-se pela segunda vez, o que faz com que sua família deixe de falar com ela. Essa situação a abalou muito. O ex-marido abriu mais tarde em Lisboa uma agência, “Recortes”, que enviava para os respectivos autores qualquer nota ou artigo sobre ele. O espólio pessoal de Antônio Guimarães reúne o mais abundante material que foi publicado sobre Florbela, desde 1945 até 1981, ano do falecimento do ex-marido. Ao todo são 133 recortes.

Em 1925 Florbela casa-se com Mário Lage no civil e no religioso e passa a morar com ele, inicialmente em Esmoriz e depois na casa dos pais de Lage em Matosinhos, no Porto.

Passa a colaborar no D. Nuno em Vila Viçosa, no ano de 1927, com os poemas que comporão o Charneca em Flor. Em carta ao diretor do D. Nuno fala da conclusão de Charneca em Flor, e fala também da preparação de um livro de contos, provavelmente O Dominó Preto.

No mesmo ano Apeles, irmão de Florbela, falece em um trágico acidente, fato esse que abalou demais a poetisa. Ela aferra-se à produção de As Máscaras do Destino, dedicando ao irmão. Mas então Florbela nunca mais será a mesma, sua doença se agrava bastante após o ocorrido.

Começa a escrever seu Diário de Último Ano em 1930. Passa a colaborar nas revistas Portugal Feminino e Civilização, trava também conhecimento com Guido Batelli, que se oferece para publicar Charneca em Flor. Florbela então revê em Matosinhos as provas do livro, depois de tentar o suicídio, período em que a neurose se agrava e é diagnosticado um edema pulmonar.

Em dois de dezembro de 1930, Florbela encerra seu Diário do Último Ano com a seguinte frase: “… e não haver gestos novos nem palavras novas.” Às duas horas do dia 8 de dezembro – no dia do seu aniversário Florbela D’Alma da Conceição Espanca suicida-se em Matosinhos, ingerindo dois frascos de Veronal. Algumas décadas depois seus restos mortais são transportados para Vila Viçosa, “… a terra alentejana a que entranhadamente quero”.

FONTES:
http://www.instituto-camoes.pt/cvc/projtelecolab/tintalusa/
numerodois/tl3.html

http://purl.pt/272/2/index.html

http://www.torre.xrs.net/

Coleção “A Obra Prima de Cada Autor” – Editora Martin Claret

01 julho 2009

GOVERNO FEDERAL AUMENTA SALARIO POBRE PARA TER MAIS ELEITORES... OU AUMENTAR O NUMERO IGNORANTES (REDUNDÂNCIA?)

Lula vai dar novo reajuste a benefício do Bolsa Família

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu conceder um reajuste aos benefícios do Bolsa Família ainda neste ano. A tendência é dar um aumento acima da inflação acumulada desde o último reajuste, em julho do ano passado, informa reportagem de Eduardo Scolese eKennedy Alencar, publicada nesta quarta-feira pela Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal).

Segundo apurou a Folha, há três cenários em estudo no governo. A primeira e provável opção de Lula é oferecer de uma só vez a inflação acumulada desde julho do ano passado mais a previsão de inflação para o ano que vem. O valor médio do benefício, hoje em R$ 85, poderia ser reajustado para ao menos R$ 95.

No segundo cenário, o reajuste do Bolsa Família seria atrelado a outro indicador econômico, como o salário mínimo. O aumento não ficaria vinculado ao indicador de inflação, que tem apresentado tendência de queda. Nos últimos 12 meses, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) acumulado é de 5,20%. O IPCA é o indicador oficial da inflação.

No terceiro cenário, Lula daria em julho ou agosto deste ano o reajuste relativo aos últimos 12 meses de inflação e faria outro reajuste em julho ou agosto do ano que vem, já no início da campanha eleitoral.

Arte/Folha

Fonte

Vamos lá...

O governo como sempre dá os peixes, mas não ensina pescar...

Por favor, não me digam que isso ele faz em prol dos menos favorecidos, ele trabalha como poucos o fizeram em beneficio dos trouxas, ops... dos pobres. Falácia, se o governo realmente se interessasse pela classe que o mantém lá em cima, ele faria: melhorias no sistema e na qualidade do ensino público, melhorias no sistema e na qualidade da saúde, melhorava a aposentadoria de quem trabalhou a vida para sustentar estes vagabundos com tantos impostos pagos ao longo da vida, melhoraria a infra estrutura, construiria casas para o povo e não cubículo procuraria fechas as torneiras que viabilizam os malditos a roubarem quatro meses de nosso suar de tanto trabalhar para somente impostos pagar, e se juntaria com um sem numero de outros políticos e fretavam um vôo da Air Bus...

Mas como tudo na vida é digno de contestação... Logo me chamarão alguém para em salas acolchoadas me jogarem.

Conversando com meu amigo Antonio Neto Gabiru, ele me contou algo que eu desconhecia, e logo descobri o porque: “Grândola, Vila Morena é o hino da revolução dos cravos
sabe o que é? em 1973, a população de portugal fez uma revolução em prol da democracia
uma revolução sem derramamento de sangue, que ganhou o nome de revolução dos cravos
pois eles colocavam essas flores nos canos das armas dos soldados, que não dispararam nenhum tiro
e assim destituíram Antonio de Oliveira Salazar.”
O tema foi despertado por que o engrcadinho aqui foi fazer piada com ele sobre o seu MSN... Ele decidiu ser uma boa elucidar melhor sobre a revolução da ”Granóla”, e chegamos ao embate mais interessante, ele defendendo que nos tempos da atual civilização não mais é preciso Revolução acompanhada de sangue, e eu o disse que as verdadeiras revoluções e mudanças só ocorreram com o sangue banhando as praças, ele se saiu com esta: “os tempos são outros
as coisas não serão mais transformadas com sangue suor e lágrimas”

... Ele tem razão mas infelizmente o Brasileiro é por demais pacifico ou medroso, ainda não sei dizer, não luta por comodismo ou medo, as revoluções quando ocorreram mudanças vieram, mas as revoluções foram feitas a ferro e fogo pois: “ Os Cravos apenas perfumarão o odor fétido do sangue derramado para enfim a vergonha ser uma obrigação e não uma mera escolha...”, o Brasil infelizmente mudará quando a Revolução ocorrer, a do ferro e fogo? Espero que não...mas se for preciso estarei lá sim... pois não quero apenas um pais melhor, mas uma nação melhor com pessoas melhores dispostas a trabalhar para o crescimento e desenvolvimento, e não pessoas preocupadas com a série sem fim de beneficies da preguiça oferecidas pelo governo, uma nação que nunca tem dinheiro para nada, mas pula a semana do carnaval gastando tudo e mais um pouco, uma nação que chora de alegria quando tem feriado prolongado, mas reclama quando tem semana cheia e trabalhará as suas 44horas semanais... uma nação que para porque deseja chorar a morte de alguém (só para não precisar fazer nada mesmo)... e eu ainda persisto em falar mal só do governo.

Ileniel Nunes