27 abril 2009

Um casamento maldito




Depois de um casamento de quase vinte anos resolvi pedir o divórcio... 

Sim, depois de quase vinte anos fumando resolvi parar, e devo confessar que ja na segunda noite sem o canceroso nos dedos senti certa diferença, assim como prestei atenção em como algumas coisas de cara mudaram... (as minhas lindas cervejas Larger se fizeram sentir o gosto real no primeiro dia hahahaha)

 Mas não estou aqui para levantar bandeira de porra nenhuma, ou mesmo me fazer de vitima, fumei por todo este tempo ciente mesmo, e só estou a parar por que preciso respirar (é horrível viver a base de remédios para poder respirar), adoro dormir também, mesmo dormindo cedo todo dia (de manha) e também acordar cedo (cedo para o lanche vespertino, adoro quando faço isso, viva os feriados prolongados)... Assim como adoro a minha cerveja, e tem disgranhento que não bebe e torra os pacovas.

 O que estou mesmo a fim de dizer é, só estou conseguindo lutar contra este casamento que me foi pérfido, por conta dos amigos, e sem alardes, sem barulho tomei a decisão conversei com umas quatro pessoas e vamos ver o que vira... Sou honesto o suficiente para assumir que ha tempos que eu venho querendo parar, mas não conseguia, por pura cretinice mesmo, assumo, sou fraco sim para fazer isso sozinho, assim como assumo que sem ajuda não estaria nem dando os primeiros passos. Outra coisa interessante do parar de fumar, é não precisar mais ficar preocupado com fumódromos, ahahahahaaha!

 Agora falando realmente um pouco mais sério, por mais que para alguns o cigarro seja apenas algo fedorento, para outros é um vicio mortal mesmo, quantas vezes acordei três horas da manhã apenas para fumar, quantas vezes só conseguia relaxar se fumasse uns quatro uma traz do outro, e o mais horrível ocorreu certo tempo atrás, me foi pedido para conversar com um garoto, para ajudar ele com os vícios que possuía com certos entorpecentes, eu me senti animado de ir lá e ajudar ele, mas como fazer isso? Eu tremia nas bases de imaginar ele usando um belo argumento: "você também é um viciado (sim o fumante é dependente químico sim!) e não larga o seu vício, por que me encher a paciência por conta do meu?", eu deixei quieto... Duas semanas depois ele foi morto em uma praça no centro da cidade na madrugada, acerto de contas... eu nunca conversei com o moleque por que meu telhado era de um vidro bem fininho...

 Mas vamos em frente... Nunca desistir e sempre adiante seguir, este foi, está sendo e sempre será o meu lema.

Abraços a todos e Obrigado aos que me ajudam com este divórcio.

 Ileniel Nunes

7 comentários:

Mariana Valente disse...

Até que enfim resolveu aderir aos meus conselhos antigos - desde antes mesmo de me tornar profissional da área da saúde - e resolveu largar esse casamento... Olha, o começo vai ser turbulento como em um casamento verdadeiro, afinal são anos de rotina, costume, companhia... Você sabia a quem recorrer nas horas de estresse e de tédio... Agora vc vai estar a sua força de vontade nesse desapego do cigarro... E estamos aqui pra ajudar nesse percurso

Beijooooos

Mariana Valente disse...

testar*

Dislexia devido ao meu chefe me rondando... É, aquele meu chefe super legal que é seu vizinho... hahaha

Alexander disse...

Até que enfim meu velho! Vc precisava mesmo parar, acho q era o que faltava em ti, odeio ver pessoas inteligentes se matando com meros vícios.

Anônimo disse...

Muito simples... qdo der vontade ..pegue um fio de luz...amarre uma ponta desencapada no coco esquerdo e a outra ponta na kbça do bicho...coloque a outra extremidade do fio na tomada...te garanto q vc vai pensar um milhão de vezes em ter vontade de fumar...hehehehe
e tira esse cavanhaque pq ta parecendo outra coisa..kkkk
Gde Abraço do seu camarada Pedro

Xinha disse...

Prabéns que bom que voce parou...espero que continue assim
bjooo

Juliano disse...

cara parabens mesmo pelas atitudes tomadas, eu que quero voltar a ter vergonha na cara e encarar essa batalha contra o cigarro novamente, ja fiz isso por 4 anos e preciso fazer novamente, sei bem o quanto e bom voltar a sentir o cheiro e o gosto das coisas e ver o quanto eu era fedorendo quando chegava perto de fumantes quando eu parei de fumar!
parabens e continue assim quem sabe eu não consigo novamente a parar com essa merda!
abraços amigo

Ana Vitória disse...

É dificil para qualquer um que possue alguma dependecia assumir tal e falar abertamente sobre o caso.

Por que sabemos, de uma maneira ou de outra, que somos fracos em relação aos nossos vicios (e também a nossa própria rotina) e não queremos demonstrar isso a uma sociedade cada vez mais exludente e determinista.

Corajosa e importante decisões como essa que fez e parabenizo e te desejo força para continuar esse caminho, pois começo muitas pessoas que pararam e voltaram, mas também outra parcela que parou e nunca mais voltou!

;)

Abraço!