01 maio 2009

A contra cultura liberta?

Ninguém sai daqui vivo, agora
Todos nós envelhecemos
(Five to one)
...
Não consigo ver seu rosto em minha mente
Cães de carnaval
Devoraram seus traços
Não chore
E não me encare
Com esses olhos
Não consigo encontrar a mentira certa
Cavalo da loucura
Enfeita o céu
Por favor, não chore
Não vou precisar de sua foto
Até dizermos adeus
(I Can’t see your face in my mind)
...
Oh, diga-me onde sua liberdade repousa
as ruas são campos que nunca morrem
liberte-me das razões porque
você prefere chorar
eu prefiro voar
(The Crystal chip)
...
Quando a música terminar
Apague as luzes
Cancele a minha inscrição para a ressureição
Mande minhas credenciais para a casa de detenção
Tenho alguns amigos lá dentro
O rosto no espelho não vai parar
A garota na janela não vai cair
Uma reunião de amigos
Esperando por mim
Do lado de fora
Antes que eu mergulhe
No grande sono
Eu quero ouvir
O grito da borboleta
Eu ouço um som muito suave
Muito perto mas ainda muito distante
Muito brando, sim, muito claro
O que eles têm feito com a terra?
Eu ouço um som muito suave
Com seu ouvido colado no chão
Nós queremos o mundo e o queremos...
Agora!
Noite persa
Veja a luz
Então quando a música terminar
Quando a música terminar
Apague as luzes
(When the music’s over)

Ler trechos dos poemas de Jim Morrison é quase como que ler Rimbaud, Baudelaire, Florbela e outros escritores beatniks que existem, alias são vários e gosto de boa parte.
Mas por que eu faço este tipo de comparação? Simples quando conheci os Doors aos 16 anos, adorava andar bêbado pela cidade a noite, exclamar poemas de Augusto dos Anjos, Olavo Bilac, e alguém mais bêbado ainda me apresentou estes autores beat (não possuem nada de ver com as merdas dos Beatles), conversamos sobre coisas que a cachaça (hoje não disponho do mesmo pique alcoólico) não me deixava escapar daquela exortação toda... Agora entendo o porquê nas atitudes de alguns dos meus “Heróis”, mas vamos em frente...
Depois de conhecer este bando de loucos, alucinados etc. etc. me forma apresentados por meios deles outros tantos do mesmo estilo para pior, porém nada que me deixe envergonhado, muito do contrário, fico feliz...
Esta madrugada conheci uma garota mais maluca do que eu, e ela reclamava das mesmas coisas que eu reclamava na idade dela... Mas ela me falou algo que me deixou de cabelo em arrupiado (como se diz por aqui), que prefere ficar na ignorância mesmo, a torna menos infeliz, o pior que ela não deixa de ter razão... durma-se com este barulho.
When the music's over Turn out the lights
Prefiro assim!

Ileniel Nunes

2 comentários:

Daniele Bello disse...

merdas dos beatles?? ta certo concordo q eles são pessimos mas vc naum tem medo da exostação?? eles são os idolos de muitos por ai.. não tem mais pique pra bebida??? hahah essa não vou comentar como diz um antigo amigo..prefiro assim!!!

Lenny disse...

Bom Beatles me é um saco mesmo, falar o que? Não, não possuo este medo, se não nem colocaria a minha visão sobre eles. E, sim não tenho mais o pique de de passar dias e dias bebewndo de forma impune, dormindo duas horas dia, e seguindo sossegado.